Entrelinhas de Mulher

As árvores


As árvores

 

A estória, ou melhor história – afinal toda estória conta histórias de corações humanos – que vou contar hoje fala de como a vida, com toda sua sabedoria e delicadeza, uniu dois corações.

Era uma vez duas árvores, Mirtes e Sophia …

Mirtes e Sophia

Mirtes era uma árvore de meia idade. Havia sido plantada há mais de 30 anos, do lado direito da rua do Afeto, na pacata cidade de Madre, no interior do estado do Ouro.
Era silenciosa, introspectiva e muito observadora… Amava filosofar sobre a vida e os segredos da alma! Amava aprender com o mundo que a cercava… e entendia que embora enraizada, era o seu pensamento que a tornava um ser livre.
Testemunhou a vida de diversos moradores… Muitos, viu no berço e poucos, no caixão. Acompanhou o folguedo das crianças, fez sombra para D. Maria na volta do mercado e oxigenou os pensamentos da população.
Viu árvores ocas e tolas tombando ao chão pela força das intempéries da vida, como também acompanhou as visitas da primavera, que coloria a vida do pequeno vilarejo.
Nunca tivera mudas… não era árvore frutífera e poucas flores enfeitaram os seus galhos…

Uma cegonha com rodas

Certo dia, foi desperta por um movimento fora do comum. Haviam muitos homens, um grande caminhão e um barulho forte. Seu coração de árvore sentiu um certo receio… “e se for uma serra elétrica?”, pensou Mirtes.
Seus temores, como a maioria dos temores que sentimos, foram vãos…
Os homens eram jardineiros da prefeitura e, alguns manejavam máquinas que cortavam a grama, cuidando dos pequenos canteiros.
Outros, faziam buracos na terra, no lado esquerdo da rua e, encantada, Mirtes viu descerem no caminhão dezenas de mudas de árvores.
Afinal, não era um caminhão! Era uma cegonha com rodas e ela teria companhia!
Surpresa, acompanhou o plantio de uma viçosa mudinha bem em frente a ela!

Deu as boas vindas à pequena Sophia que logo compartilhou sua história! Contou que fora arrancada do ventre da mãe terra logo nos primeiros meses de existência e que, embora tocada por mãos carinhosas e hábeis, ressentia-se pela ruptura abrupta com tudo que conhecia como certo, bom e seguro…
Disse que foi colocada naquele grande caminhão e que sentiu medo pelo destino incerto e pela sua vida…

Mirtes ouvia atentamente e foi procurando acalmar aquele brotinho falante!
Depois de algumas horas, Sophia percebeu que foi carinhosamente colocada em um novo lar. Uma nova terra, com novos ares e feliz! Disse toda animada à Mirtes: “Você é a árvore mais linda e maravilhosa do universo!”.
Um espírito maternal se apoderou de Mirtes e ela amou, profundamente, aquele ser!

Sua vida alegrou-se com daquele pedacinho de árvore com cheiro de terra e água! Como era lindo observar a surpresa e os gritinhos de alegria da pequena muda quando foi tocada pelas asas de uma borboleta!
Comemorou com Sophia o engrossamento de seu caule e galhos!
E ao mirá-la todos os dias, percebia o ciclo da vida acontecer!
Sentimentos novos se misturaram a paz e calmaria que habitavam seu coração: a felicidade, a empatia, o afeto, a alegria de ter a vida envolvida por outra vida!

Dia das mães

Naquele domingo, uma energia de festa e de amor se espalhou pelo ar! As pessoas se movimentavam felizes, entrando nas casas com pratos para serem compartilhados, flores e presentes! Era o domingo do dia das mães!
Mirtes amava aquela data tão feliz, pois seus humanos irradiavam uma luz luminosa que aquecia a todos! Era muito bom de sentir!

Sophia também foi contagiada por aquela energia e declarou seu amor àquela que reconhecia como mãe!
Mirtes emocionou-se profundamente! Seus longos galhos sacolejavam mais que o normal pelo choro de gratidão que a invadiu!
Quanto compreendeu da vida naquele gesto de amor de Sophia! Compreendeu que a maternidade é uma filosofia de vida muito maior que um papel biológico!
Reconheceu que a maternidade a ensinou a reviver das descobertas, a redescobrir o mundo, a renascer a cada instante, a se reinventar a cada segundo e a viver o maior amor do mundo!

 

Dedico este texto a todas mães de coração, que vivem essa filosofia de vida que pressupõe dedicação, empatia, entrega e amor incondicional! A estas mulheres que entendem que amor de mãe é mais que uma semente!

À mãe adotiva, à mãe tia, à mãe vó, à mãedrasta, à mãe amiga e ao pai mãe meu respeito e admiração!
Feliz dia das praticantes do amor incondicional!!

Com amor!
Dani

Quero te convidar para conhecer o meu livro! Envie um e-mail para: [email protected] e eu  te enviarei um “mini-livro” em pdf com textos afetuosos e conversas incríveis, que falam de coração para coração! O livro “Amiga, coloque a calcinha para dentro da calça e outras conversas”, está à venda na loja  Mimos e Caprichos e na Amazon.
Você também pode curtir a minha página do Facebook – Entrelinhas de Mulher!

COMPARTILHE

ENVIE SEU COMENTÁRIO