fbpx
Entrelinhas de Mulher

Dê ao seu filho tudo o que você teve


Dê ao seu filho tudo o que você teve

Se tem uma frase que me arrepia é a tal “preciso dar para os meus filhos tudo o que eu não tive”. Queria saber quem decretou esta “lei” que “obriga” os pais a comprarem tudo do “bom e do melhor”!
Eu acho (só acho) que deveríamos, em primeiro lugar, focar-nos em dar aos nossos filhotes tudo o que tivemos ou que queríamos de fato ter quando éramos crianças!
Pense em tudo o que te fez feliz quando era apenas uma menininha ou menininho. Pronto?
Garanto que você não lembrou de nada material, certo? Nossas memórias mais lindas são permeadas de amor e felicidade!

Fonte: Visual Hunt

O que é importante de verdade?

Um lar aconchegante, um lugar de refúgio e apoio, onde a família se reúne para fazer as refeições juntos, onde o maior conforto são os abraços do pai e os beijos da mãe! Onde se prepara um bolo no sábado a tarde para o café com a parentada e onde se encontra paz e harmonia!
Casas enormes, televisões nos quartos, computadores de última geração são superbacanas, mas não são prioridades na lista das principais necessidades de uma criança!

Bons livros, lidos pelos pais aos pequenos, naquele momento mágico de preparação para um bom soninho.
Os celulares e tablets treinam habilidades importantes, mas nenhuma delas substitui esse vínculo terno com os pais e também com a leitura!

Fonte: Visual Hunt

Um belo jogo de tabuleiro, que desafia a família toda a se superar, criar estratégias e vencer a si mesmos!
Os videogames de última geração são extremamente desafiadores, mas não ensinam a dialogar, a administrar conflitos e negociar.

Jogar bola na rua no parque, soltar pipa aos finais de semana, fazer bolinha de sabão, tomar banho de chuva, curtir um piquenique na grama, brincar de cabana na sala, fazer guerra de travesseiros no quarto e pular em cima da cama dos pais, rindo, até doer a barriga!
As memórias afetivas nascem de momentos felizes, onde a interação social é intensa e manifesta pela alegria de convivermos e não de presentes caros.

Fonte: Visual Hunt

Frequentar escolas onde os professores te conheçam pelo nome, saibam suas histórias e te preparem para a vida!
Chega daquela neura que impele as crianças a pensarem no vestibular desde os 7 anos de idade!

Andar de bicicleta, jogar basquete, praticar dança somente pela alegria que o esporte proporciona, sem compromisso com a liderança ou com a vitória! Atualmente, qualquer aptidão natural é considerada um talento que deve ser explorado a todo custo! E logo a brincadeira vira treino em busca da excelência e do bom desempenho!

EU SEI que os tempos são outros! Os pais trabalham, as vezes não estão mais juntos, as crianças não podem brincar sozinhas na rua e nosso tempo e a grana são curtos, mas nada disso impede que tentemos dar aos nossos filhos tudo de bom que vivemos na nossa infância… (E se, por qualquer motivo não vivemos, sonhamos em VIVER!).

Como dar o meu filho o que tive de bom e lindo?

Então mãos à obra! Vale tentar se organizar para fazer ao menos uma refeição juntos no dia e reservar um espaço maior no final de semana para uma atividade divertida! Se não é possível ler para seu filho todos os dias, que seja uma vez por semana! Organizar-se para uma brincadeira ao ar livre, sempre que possível! E se estiver frio ou chuvoso bolar alguma atividade legal para brincar em casa mesmo!
Se você quiser, eu sei que você vai saber fazer acontecer!

Esclareço ainda que não acho errado dar o melhor que pudermos aos nossos filhos: educação, roupas e viagens legais.
Só afirmo que o primeiro item da lista de prioridades do que devemos dar aos filhos é amor e presença! Todo o restante é complemento de lista!
Têm pais, que em nome desse “dar tudo” não acompanham o crescimento dos filhos, não sabem o nome dos amigos da escola, a matéria preferida e até o sabor de sorvete que ele ama!
E esse tempo perdido não se recupera mais!

De boas, relaxe! Não trabalhe tanto para comprar para seu filho coisas que talvez ele nem precise tanto! O presente mais precioso que você pode oferecer ao seu filhote, independe da idade que ele tenha, é você mesmo!
Para estar na vida do seu filho amanhã, você precisa estar presente hoje!

Te juro juradinho: vale a pena! Melhor investimento da vida!

Beijo,
Dani

Ps. Obrigada Marcela Mattos Carneiro que me ajudou numa complementação a este texto.

 

Gostou? Quer ler mais textos da Dani? Conheça o livro “Amiga, coloque a calcinha para dentro da calça e outras conversas”, à venda na loja loja Mimos e Caprichos e na Amazon.

COMPARTILHE

ENVIE SEU COMENTÁRIO