fbpx
Entrelinhas de Mulher

Sereia ou polvo?


Sereia ou polvo?

As redes sociais são, para mim, mais que um espaço de interação virtual. São um grande mar, onde posso observar o movimento dos cardumes, as fases das marés e buscar grandes tesouros, que por vezes estão escondidos nas profundezas desse oceano. Também servem de rota de grandes navegadores, são palcos de batalhas épicas e ainda, um grande covil de piratas.

Outro dia, navegando ao léu, avistei ao longe um post no estilo naufrágio. Um verdadeiro SOS em meio a um mar de publicações. Uma amiga muito querida se declarava incapaz de realizar todas as tarefas pelas quais era responsável. Em letras garrafais, bradava: “EU NÃO ESTOU DANDO CONTA DE TUDO! SOCORRO!”.
Mais impressionante que o post, foi ler os comentários nos quais as pessoas se declaravam em processo de naufrágio tal e qual ela!
(Não sei se é impressão minha, mas me parece que as pessoas estão tão cheias de responsabilidades e compromissos que estão beirando a concordata emocional. Algumas com a falência decretada.)

Respirei fundo e me lancei junto ao grupo para ajudar. É certo que, no mar da vida, cada um tem que nadar por si só, mas se a gente pode ajudar lançando uma boia ao menos, por que não?

Comecei explicando sobre a vida das sereias e dos polvos!
As sereias acordam calmamente em meio ao balé dos peixes, tomam um desjejum com a família, nadam calmamente pelo mar realizando as tarefas do dia, conseguem um horarinho para ir à superfície admirar as montanhas e retornam ao lar para cuidar da beleza. Também tem tempo para cantar e descobrir os segredos dos oceanos.

Fonte: Visual Hunt

E os polvos? Bom, aí o buraco é mais embaixo… Eles tem oito braços que ajudam a pegar TUDO o que veem pelo caminho. Vivem em tocas e são solitários. Mudam de cor para se camuflarem, confundindo os inimigos. Tem três corações, neurônios nos tentáculos e vida curta. As fêmeas colocam cerca de 150 mil ovos, sempre em cavernas, os quais cuidam para que não sejam atacados por predadores. Durante o tempo da “gestação” elas sequer se alimentam, e por esse motivo, morrem logo depois que os filhotes nascem. (Achei uma analogia fantástica a Síndrome do Ninho Vazio).

Fonte: Visual Hunt

 

Sereia ou polvo?

A gente quer vida de sereia mas vive como polvo! Cada dia pega mais uma coisa para fazer! Realiza atividades que deveriam ser executadas por terceiros, ou seja, pelos verdadeiros responsáveis! Queremos abraçar o mundo com as pernas e vivemos beirando a exaustão física, mental e emocional! Eu sei de gente que não dorme o suficiente há anos! Que não tem tempo de ir ao médico! (Alguém se identifica?).
Mas não precisa ser assim minha gente! Dá para se “transformar de polvo em sereia”, sem precisar recorrer ao feitiço da bruxa Úrsula!
A solução depende de cada uma de nós! Um bom jeito de começar é estabelecer prioridades, delegar funções e diminuir o ritmo!
Se você tem filhos, inclua-os nos afazeres diários! É uma oportunidade única de ensinar sobre trabalho em equipe, compartilhamento e responsabilidades!
Se você tem um companheiro(a), não tenha medo de pedir ajuda! Vocês são um time, lembra?
Se você se ama, cuide de você! Respeite seus limites e se for o caso, diga com todo amor do mundo: não posso!

Eu sei que não é fácil abandonar a vida de polvo, mas como alguém que lutou e luta para se manter “sereia”, eu te asseguro: vale a pena!

Um beijo de mar e harmonia para você!

Dani

Gostou? Quer ler mais textos da Dani? Conheça o livro “Amiga, coloque a calcinha para dentro da calça e outras conversas”, à venda na loja do Clube da Alice no Shopping Mueller, na loja Mimos e Caprichos e na Amazon.