fbpx
Entrelinhas de Mulher

Se tu vens em dezembro, desde novembro eu começo a ser feliz!


Se tu vens em dezembro, desde novembro eu começo a ser feliz!

Saudações!
Esta semana uma postagem do Clube da Alice me chamou a atenção. O post pedia orientações sobre a data correta da montagem da árvore de Natal.
Li as mais diversas respostas e colaborações, sendo que muitas mencionavam eventos religiosos como o primeiro domingo do advento, dia de São Nicolau ou ainda datas específicas como 30 de novembro, 1º de dezembro e por aí afora.
Identifiquei-me tanto com aquela mulher! Uma Dani de um passado não tão distante que queria fazer tudo do jeito mais lindo e perfeito! Uma Dani cheia de medos e manias, que não comemorava aniversário antes do dia, que não passava embaixo de escadas, que fazia figas e achava que a felicidade era apenas um golpe de sorte, destinada à poucas escolhidas. Uma Dani que tinha tanto medo de errar, que se apegava em toda sorte de orientação e modelos. As referências externas eram uma bússola.
Como eu sofri MUITO com tudo isso e, graças a terapia, fui me libertando dessas amarras e crenças que eu mesma sustentava, resolvi me manifestar. Compartilhar minhas percepções e sentimentos, apenas como uma contribuição a uma fraternidade em expansão: a fraternidade entre mulheres.
Primeiro respondi que a Alice deveria seguir seu coração. Depois fiquei matutando se ela entenderia o que quis dizer. Não me aguentei (risos)! Voltei para complementar a minha opinião sobre a situação.
Voltei ao post e vi que outras Alices já a encorajavam a agir de acordo com sua vontade no melhor estilo: “meu natal, minhas regras”. Complementei dizendo que seguir o coração é satisfazer os desejos da nossa alma! Que costumamos ser tão escravas do tempo, com horário para tudo e que somos impotentes perante a força e a velocidade que o tempo tem!


Confidenciei que tenho sentido que um natal tem “encostado” no outro, que nossos filhos têm crescido em uma velocidade supersônica e que o tempo voa amores!
Esclareci que por estes motivos, permito-me viver o hoje, o aqui e o agora! Disse que o quê depende de mim, é para JÁ! Que não espero uma ocasião importante para abrir um bom vinho, nem um evento top para usar minhas roupas novas! Que como a sobremesa antes do almoço e que monto minha árvore de natal bem cedo para a magia durar mais! Para ser no MEU tempo!
Finalizei dizendo que mais que o calendário do advento, eu sigo com Jesus este MEU momento e que devemos curtir a vida com simplicidade e intensidade, em especial nas poucas oportunidades que o riso depende apenas de nós!
E por fim, minha sugestão pontual: monte a árvore amiga! Right now!


Por uma alegre coincidência, eu estava com todo o meu arsenal de natal esparramado pela sala e comecei, naquela mesma noite, a montar a minha árvore e decorar a minha casa.
E lá, entre bolinhas, botas e muito brilho, eu me lembrei da fala da raposa e do Pequeno Príncipe, que adaptei ao contexto natalino: Se tu vens, em dezembro, desde novembro eu começarei a ser feliz. Quanto mais o dia de natal for chegando, mais eu me sentirei feliz. Dia vinte e quatro, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade!

Não deixe para amanhã a alegria que você pode viver hoje!

E que venha o Natal!

Sigo contigo no amor!
Dani

Quer acompanhar meus textos? Acesse o site daniellelourenco.com.br  e curta a minha página do Facebook – Entrelinhas de Mulher!